Dicas

Qual a importância e como realizar um teste hidrostático?

maio 17, 2019
teste hidrostatico
Tempo de leitura 7 min
Powered by Rock Convert

Você conhece a importância do teste hidrostático em seus equipamentos que trabalham sob pressão? Para minimizar os acidentes que podem ocorrer no ambiente de trabalho, o ideal é atuar de forma preventiva. Para isso, existem algumas Normas Regulamentadoras que determinam procedimentos a serem adotados no sentido de aumentar a segurança dos colaboradores que atuam em determinado espaço.

Há normas que falam sobre trabalho em altura, trabalho em ambiente confinado e, neste post específico, falaremos sobre a NR13, que versa sobre a segurança em vasos de pressão. Conhecer as normas que se aplicam à sua empresa e cumpri-las é uma forma de cuidar da saúde e segurança dos seus colaboradores, além de evitar processos e ações trabalhistas.

Se você deseja saber mais sobre segurança em vasos de pressão, continue lendo. Preparamos, abaixo, um especial sobre o assunto.

O que é teste hidrostático?

Muitas vezes, equipamentos contam com componentes que transportam fluidos, como gases ou óleos, em alta pressão. Para testar possíveis vazamentos e riscos de explosão durante o trabalho, realiza-se um teste com água a uma pressão que inclui a que será utilizada no equipamento acrescida de uma margem de segurança.

Dessa forma, é possível afirmar que não existem defeitos ou problemas estruturais que tragam riscos de rompimento durante o trabalho. Devemos reiterar que equipamentos que atuam nessas condições englobam riscos de rompimento durante a operação, o que poderia resultar em acidentes até mesmo fatais para colaboradores que estivessem por perto. É por isso que a realização do teste é considerada obrigatória.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Como é realizado?

O componente a ser testado deve ser enchido com água até chegar à pressão determinada para o teste. Um laudo é, então, emitido, comprovando que o equipamento está apto a funcionar sem riscos de rompimento. Também é avaliado o retorno da água utilizada no teste.

Se uma quantidade acima do esperado ficar retida, também é considerado que o equipamento falhou durante a verificação. É importante lembrar que equipamentos que não passaram no teste não devem ser colocados em operação, caso contrário, essa etapa de avaliação perderia todo o seu sentido.

Os equipamentos possuem uma PMTA (pressão máxima de trabalho admitida) e o teste hidrostático é baseado nessa pressão. Existem as válvulas de segurança que, caso essa pressão seja ultrapassada, deverão atuar como segurança contra a explosão do equipamento. O funcionamento desta válvula de segurança também deve ser verificado para garantir que, em caso de necessidade, ela vai atuar corretamente para alívio da pressão.

Quando o teste hidrostático é necessário?

Conforme o texto da NR13, “todas as intervenções que exijam mandrilamento ou soldagem em partes que operem sob pressão devem ser seguidas de teste hidrostático”. A norma determina, ainda, que caldeiras novas também sejam submetidas à verificação antes de serem colocadas em funcionamento.

Mangueiras e extintores de incêndio também necessitam do teste. Em termos gerais, qualquer atividade que possa colocar o colaborador em risco de explosão ou rompimento deve conter o laudo do teste hidrostático antes de ser iniciada.

Que cuidados devem ser tomados ao realizá-lo?

Não é porque se trata de um procedimento de teste que ele não traz riscos. A realização de um teste hidrostático também requer alguns cuidados, que envolvem tanto a segurança quanto a precisão do resultado. A gravidade específica e química do fluido de ensaio precisa ser conhecida, já que alguns fluidos podem se tornar corrosivos e afetar o equipamento.

Outro ponto importante a ser levado em conta diz respeito às cargas hidrostáticas. Quando elas não podem ser suportadas, o ideal é buscar meios alternativos para a realização do teste. Procedimentos realizados com gases requerem atenção quanto à pressurização. Também é importante ter sensibilidade para entender que cada equipamento tem suas particularidades e, muitas vezes, será necessário um teste mais personalizado.

Ao adquirir e ou operar um vaso de pressão, é muito importante que se conheçam algumas características do vaso, como a PMTA (pressão máxima de trabalho admitida): ela é o limite do seu equipamento, ou seja, quando ultrapassada podem haver inúmeros riscos ao seu processo e aos seus funcionários. Por isto, um item de primordial importância é a válvula de segurança, também conhecida como válvula de alívio de pressão, que pode identificar a diferença entre uma descarga de pressão e uma explosão de grandes proporções.

Aliado a fatores como a PMTA e uma válvula de segurança adequada a pressão e testada, estão os testes hidrostáticos realizados no vaso, além de uma avaliação da espessura das paredes do vaso, através de equipamentos de ultrassom. Tudo isto se torna necessário por conta da compressão do ar atmosférico, que traz umidade para dentro do vaso, corroendo suas paredes internas.

Portanto fique atento pois sempre que o vaso for transportado, sofrer um impacto significativo ou ter a validade dos seus testes vencida, é necessário testá-los novamente, com profissionais habilitados para isto.

Quais os riscos da não realização do teste?

O teste hidrostático é regulamentado pela NR13 (não se trata de um mero procedimento opcional, pois há uma lei que o exige), o que significa que o procedimento é obrigatório para as situações citadas nessa norma. Conforme tratamos acima, um de seus principais objetivos é a segurança e não o realizar implica assumir o risco sobre os seus colaboradores.

Além disso, em caso de inspeção fiscal na empresa, a falta de um laudo que comprove que os equipamentos foram devidamente testados pode resultar em multas. Isso não vale somente para equipamentos novos — os testes periódicos precisam ser comprovados, já que o desgaste natural por uso pode ocasionar prejuízos à estrutura dos componentes em questão.

Quem pode realizar o teste?

Não é qualquer pessoa que pode realizar um teste hidrostático. Não basta simplesmente saber operar uma bomba de teste. A necessidade de cuidados para manter a segurança também nessa etapa requer a atuação de um profissional capacitado para tal. O “profissional habilitado” é aquele que conta com um registro no conselho profissional e é, portanto, autorizado a realizar o teste hidrostático.

No laudo, deve constar o número de registro desse profissional. Também participam técnicos que auxiliam na inspeção, e seus nomes também precisam aparecer no laudo. Dessa forma, a autorização para uso do equipamento é determinada por pessoas que comprovadamente sabem realizar o teste corretamente e, portanto, falam com conhecimento de causa.

Uma empresa especializada é necessária?

Diante da necessidade desses profissionais especializados, o melhor a fazer, caso você atue com equipamentos que demandam a realização do teste hidrostático, é contratar uma empresa especializada para a execução do procedimento. Terceirizar tal ação é uma forma de garantir a segurança dos seus colaboradores e ficar em dia com a legislação. Empresas especializadas no ramo contam com os profissionais necessários para fazer o teste e emitir o laudo — tudo dentro das exigências legais.

Além disso, por realizarem o trabalho em diversos clientes, os profissionais normalmente são experientes e bem preparados para tirar todas as suas dúvidas e auxiliar no que for necessário. Também, nesses casos, você conta com uma garantia a mais, já que aqueles que certificaram que seus equipamentos estão em condições de uso foram profissionais que detêm formação e autorização para isso.

De modo geral, o teste hidrostático é uma medida importantíssima de segurança, além de garantir o funcionamento à sua empresa dentro da legalidade, pelo menos, no que diz respeito a isso. Se você não sabe por onde começar a legalizar-se nesse sentido, vale procurar uma empresa especializada e tirar todas as suas dúvidas.

Se este post foi útil para você, deixe seu comentário abaixo e compartilhe a sua opinião.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário